sexta-feira, 27 de junho de 2014

Dom Fernando recebe integrante do Movimento Ocupe Estelita em audiência

O arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, recebeu na manhã desta quinta-feira, 26, um dos representantes dos movimentos Ocupe Estelita e Direitos Urbanos, Sérgio Urt. O publicitário apresentou as preocupações do grupo com o empreendimento imobiliário do Consórcio Novo Recife para a área de 10 hectares localizada na bacia do Pina, bairro de São José, área central da capital pernambucana. O projeto prevê a construção de 12 torres no local.

Urt explicou ao arcebispo o objetivo do Ocupe Estelita e expôs as inquietações do movimento quanto aos impactos sociais e ambientais que o empreendimento poderá causar. Entre as questões ambientais está, segundo ele, o provável aumento da temperatura na região em cerca de 5º C. O religioso demonstrou preocupação ao saber da informação. “Essa informação é preocupante e deve ser levada em consideração durante os debates”, afirmou o arcebispo.

Sérgio Urt ressaltou a preocupação com o embate social que se apresenta de forma silenciosa na mídia, mas que se desenvolve na internet e o desejo de que a justiça prevaleça no caso. “Minha opinião é única. Ou se faz uma cidade com justiça e paz com relacionamentos verdadeiros ou a gente vai viver uma guerra eterna da sociedade entre o pobre e o rico. Hoje há uma guerra silenciosa nas redes sociais. A Igreja para mim é uma referência muito grande. Sou católico praticante e tenho uma formação social muito forte. Desde criança eu convivo com trabalhos sociais e de dar suporte a pessoas mais necessitadas”, revelou.

Dom Fernando defende a abertura e um contínuo diálogo entre o Movimento Ocupe Estelita e o Consórcio Novo Recife, autor do projeto, como também com os poderes públicos e lideranças sociais. “Só com um diálogo aberto e confiante e em prol do bem comum será possível se chegar a um consenso. Torço para que, prevaleça o bom senso  e a justiça seja feita e aconteça o melhor para a população e para a cidade do Recife”, ressaltou o religioso.

Outro ponto relatado pelo publicitário foi a forma violenta com que foi realizada a reintegração de posse do terreno onde os integrantes do movimento estavam acampados. O fato ocorreu no início da manhã do dia 17 de junho e várias pessoas ficaram feridas durante a ação policial. Os integrantes estão acampados no local desde a noite do dia 21 de maio, quando teve início a demolição dos galpões do cais. A ocupação da área foi a forma encontrada pelo grupo de protestar.

Dom Fernando reiterou ser contra o uso da força física. “Eu desaprovo todo e qualquer ato de violência. O caminho que deve ser percorrido em toda situação de conflito ou ideias divergentes é sempre o do diálogo respeitoso, de ambas as partes”, observou.

O Cais José Estelita faz parte da Paróquia São José. A comunidade local é pastoreada pelo pároco, padre José Augusto Esteves, e pelo vigário paroquial, frei Aloísio Fragoso, que reside e atua na área do Coque. Estes sacerdotes respondem por toda aquela região.

Projeto - O projeto Novo Recife promete criar um parque, estacionamento e biblioteca pública ao longo do Cais José Estelita, no bairro de São José, centro da cidade. A legalidade do leilão do terreno, antes pertencente à União, está sendo questionada na Justiça.

Fonte: Arquidiocese de Olinda e Recife

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Arcebispo entrega documento da CNBB a candidatos ao Governo de Pernambuco

O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, recebeu na manhã desta quarta-feira (25) os candidatos a governador e vice de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) e Raul Henry (PMDB). No encontro, que aconteceu na sede da Cúria Metropolitana, no bairro das Graças, o religioso entregou aos políticos o documento “Pensando o Brasil: desafios diante das eleições 2014″. O texto traz as preocupações da Igreja debatidas pelos bispos na 52ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realizada no mês passado, em Aparecida (SP).

Em suma, há três pontos fundamentais para o eleitor no texto: participação consciente nas eleições; a necessidade de conhecer os candidatos, sua história, e quais princípios e valores eles praticam e defendem; buscar candidatos que tenham compromisso com tantas reformas necessárias no País, especialmente a Reforma Política, que tem apoio da CNBB e de outras entidades. “Este é um documento que tem a contribuição de todos os bispos do País. Todos os candidatos também devem ler”, afirmou dom Saburido.

No caso específico de Pernambuco dom Fernando mostrou preocupação com a saúde, especialmente, na valorização dos profissionais destacando as condições do Hospital Universitário Osvaldo Cruz. “Ali a situação é muito séria e mostra que não é só construindo hospitais que o problema será resolvido, é preciso pensar também em políticas que garantam o bom atendimento à população e diminua o déficit de médicos e enfermeiros”, cobrou o religioso.

Em relação à educação, dom Fernando falou da urgência de maiores investimentos em escolas que garantam a boa formação dos jovens. “A educação também é um ponto importantíssimo e é preciso olhar agora para esta questão para não perdermos uma geração inteira no futuro”, salientou o arcebispo.

Paulo Câmara e Raul Henry agradeceram as sugestões e se comprometeram em ler o documento da CNBB. “Agradeço a dom Fernando pela recepção e por este texto tão importante, certamente ele será muito útil em nosso planejamento”, disse Câmara.

Fonte: Arquidiocese de Olinda e Recife

quarta-feira, 25 de junho de 2014

O que você sabe sobre a Doutrina Social da Igreja Católica?

A Igreja Católica tem uma visão muito clara do mundo e de suas necessidades; e por isso oferece a solução cristã para os graves problemas da humanidade segundo a Luz do Evangelho de Jesus Cristo. Mas, infelizmente muitos católicos desconhecem esta Doutrina.

Ela afirma que: “Não cabe aos pastores da Igreja intervir diretamente na construção política e na organização da vida social. Essa tarefa faz parte da vocação dos fiéis leigos, que agem por própria iniciativa com seus concidadãos…  Terá sempre em vista o bem comum e se conformará com a mensagem evangélica e com a doutrina da Igreja. Cabe aos fiéis leigos “animar as realidades temporais com um zelo cristão e comportar-se como artesãos da paz e da justiça” (SRS 42). (CIC §2442)

As propostas da Igreja não são soluções ideológicas com ênfase capitalista e nem comunista, mas cristãs, baseadas na dignidade da pessoa humana, filha de Deus.

Para a Igreja o homem é o autor, o centro e o fim de toda a vida econômica e social. “O ponto decisivo da questão social é que os bens criados por Deus para todos de fato cheguem a todos conforme a justiça e com a ajuda da caridade. (CIC §2459)

De um lado a Igreja não aceita o lucro idolatrado como um Deus, que explora o ser humano como se fosse uma máquina insensível; e por outro lado condenou muitas vezes o marxismo que faz do Estado uma instituição todo-poderosa que elimina a liberdade dos filhos da nação.

De forma alguma a Igreja aceita a violência, a revolução, o terrorismo e a guerrilha para resolver o problema social, e muito menos a luta de classes, o incitamento dos pobres contra os ricos. Todas essas práticas são anti-evangélicas e não resolvem o problema social, ao contrário, o agravam.

A “Gaudium et Spes” do Concilio Vaticano II diz que a Igreja emite um juízo moral, em matéria econômica e social, “quando o exigem os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas” (GS 76,5). É uma missão distinta da missão das autoridades políticas. A Igreja se preocupa com o bem comum, e procura ensinar as atitudes justas na relação com os bens terrenos e nas relações sócio-econômicas.

Por isso, desde Leão XIII (1878-1903) com a “Encíclica Rerum Novarum” a Igreja tem se pronunciado sobre a questão social. A doutrina social da Igreja se desenvolveu desde o século XIX com o encontro do Evangelho com a sociedade industrial que surgia, suas novas estruturas para a produção de bens de consumo, sua nova concepção da sociedade, do Estado e da autoridade, suas novas formas de trabalho e de propriedade.

De um lado a Igreja ensina que “todo sistema segundo o qual as relações sociais seriam inteiramente determinadas pelos fatores econômicos é contrário à natureza da pessoa humana e de seus atos” (CA, 24).

Ela ensina que: “uma teoria que faz do lucro a regra exclusiva e o fim último da atividade econômica é moralmente inaceitável. O apetite desordenado pelo dinheiro não deixa de produzir seus efeitos perversos. Ele é uma das causas dos numerosos conflitos que perturbam a ordem social” (GS 63,3; LE 7; CA 35).

Por outro lado, o “Catecismo da Igreja” afirma que “um sistema que “sacrifica os direitos fundamentais das pessoas e dos grupos à organização coletiva da produção” é contrário à dignidade do homem (GS 65). Toda prática que reduz as pessoas a não serem mais que meros meios que têm em vista o lucro escraviza o homem, conduz à idolatria do dinheiro e contribui para difundir o ateísmo. ” (CIC, §2424)

“A Igreja tem rejeitado as ideologias totalitárias e atéias associadas, nos tempos modernos, ao “comunismo” ou ao “socialismo”. Além disso, na prática do “capitalismo” ela recusou o individualismo e o primado absoluto da lei do mercado sobre o trabalho humano (CA 10).

Fonte: Prof. Felipe Aquino (Canção Nova)

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Jovens católicos se reúnem para debater sobre a situação política do Brasil

A liderança das diversas expressões juvenis da Arquidiocese de Olinda e Recife se reuniram, no dia 21 último, para discutirem sobre a situação política em nosso país. Foram convidados, pela Comissão Arquidiocesana de Pastoral para a Juventude, três candidatos do legislativo estadual e federal, pré-candidato Josenildo Sinésio (PTB-Recife), Deputada Estadual Terezinha Nunes (PSDB-Recife) e o Vereador Marcelo Santa Cruz (PT-Olinda) para ouvirem as principais reivindicações da juventude católica.

Integrantes do MEJ, PJMP, Força Jovem Católica e outras expressões cobraram dos parlamentares mais atenção e respeito com os jovens e a participação efetiva nas decisões das políticas públicas.

Filipe Xavier (PJMP) destacou a importância do jovem lutar pelos seus direitos e participar ativamente das decisões políticas do nosso país. Ítalo Pereira (MEJ/Força Jovem Católica de Olinda) rebateu os comentários de que os jovens católicos estão mais preocupados com as redes sociais que a situação do Brasil, dizendo que devido a falta de segurança, os jovens católicos preferem ficar em casa e protestar pelas redes sociais. Que os jovens estão bem acordados e antenados na situação política, mas estão totalmente revoltados com o descaso público.

Paulo Deérre (Fundador da Força Jovem Católica de Olinda) falou que a juventude olindense está se organizando e se fortalecendo para lutar pelos direitos dos jovens na sua cidade. Que tem até algumas lideranças evangélicas participando deste movimento para que o jovem tenha voz e vez na política e na sociedade. 

Na opinião geral dos jovens presentes é preciso que os políticos escutem mais o povo do que falem de suas propostas. Que procurem mais desenvolver políticas públicas que falar mal dos seus opositores. Os jovens estão de olho e não vão mais tolerar os abusos e a corrupção.

A minha esperança é que o jovem em geral tenha, um dia, a sua integridade física, social, cultural e política preservadas. Eu acredito que as eleições deste ano será uma grande revolução juvenil que surpreenderá a muitos políticos.

#EuAcreditoNaJuventude




sexta-feira, 20 de junho de 2014

O tema da Campanha Missionária 2014 é Missão para libertar.

As Pontifícias Obras Missionárias (POM) divulgaram, dia 17 último, o tema “Missão para libertar” e o lema “Enviou-me para anunciar a libertação” (Lc 4,18) da Campanha Missionária 2014, que será realizada em outubro. A reflexão recorda a temática da Campanha da Fraternidade 2014 que trata do Tráfico Humano.

Diante da realidade da escravidão, da exploração sexual, do comércio de órgãos e do tráfico de menores para adoção, os organizadores consideram que o trabalho missionário de defesa e promoção da vida continua de forma urgente e sem fronteiras.

Para o diretor das POM, padre Camilo Pauletti, “a temática surge hoje como um grande desafio para a Missão”. Ao recordar a passagem bíblica do Evangelho de São Lucas que inspirou a escolha do tema e do lema, padre Camilo afirma que a missão do Messias tem origem no Deus da vida e, por isso, Jesus traz libertação para quem sofre algum tipo de escravidão. “Hoje, Jesus nos desafia a assumirmos essa mesma Missão”, complementa. A campanha busca, ainda, criar comunhão entre os diversos aspectos da Missão e incentivar o compromisso das famílias e comunidades.

Alguns subsídios serão enviados às dioceses e prelazias do Brasil para distribuição. O cartaz, um livrinho da novena missionária, a mensagem do papa para o Dia Mundial das Missões, uma oração missionária, um DVD com testemunhos, orações dos fiéis para os domingos do mês missionário, envelopes para a coleta e um marcador de páginas também estarão disponíveis, em breve, no site das Pontifícias Obras Missionárias (www.pom.org.br).

No Brasil, as POM têm a responsabilidade de organizar, todos os anos, a Campanha Missionária, e conta com o apoio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), por meio da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial, da Comissão Episcopal para a Amazônia e outros organismos que compõem o Conselho Missionário Nacional (Comina).

Fonte: CNBB

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Uma nova peste assola o nosso país!

No primeiro dia o médico viu um rato morto na frente da sua casa e achou isso estranho (insólito). No segundo dia, mais três. Nos dias seguintes, muitos. Em seguida surgem incontáveis doentes com os mesmos sintomas: inchaços, erupções cutâneas e delírios; em menos de 48 horas todos começaram a morrer. Centenas de milhares de pessoas efetivamente morreram. As autoridades negam dizer a verdade, enquanto podem. Chamam os que denunciam a calamidade de alarmistas e inconsequentes. Ninguém quer mencionar o nome do fenômeno. Não se pode deixar a opinião pública em pânico. Ela é sagrada. Mas negar os fatos não muda a realidade. Nem mudar o seu nome (chamando de desafio o que, na verdade, é um problema). Quando a desgraça se espalhou por toda cidade, então foi necessário revelar o seu nome: a peste. Meses depois foi feito o anúncio oficial do fim da tragédia. O médico, no entanto, não quis participar da comemoração. Por quê? Porque ele sabia que a euforia da multidão ignorante era passageira, posto que “o bacilo da peste não morre nem desaparece nunca” (isso foi escrito em 1947, por Albert Camus, no seu livro A peste, citado por Riemen, no livro O eterno retorno do fascismo, 2012, p. 11-12).

A tragédia da peste da violência, que está incubada na nossa sociedade (a tortura está na alma do brasileiro, dizia Darcy Ribeiro), fez mais uma vítima: Fabiane Maria de Jesus, 33 anos, dona de casa, em Guarujá (SP). Foi linchada por moradores da cidade e vizinhos, depois de um boato de que sequestrava crianças. O linchamento é uma das manifestações mais bárbaras de um povo. Era comum na Idade Média. A infundada suspeita e acusação contra a vítima foi mais um uso irresponsável da mídia (que hoje é escrita, falada, televisada ou compartilhada). A pior utilização da mídia é a que estimula a violência, o justiçamento com as próprias mãos. Mas isso, no Brasil, está sendo disseminado há muitos anos. Da Idade Média chegamos na Idade Mídia, com as mesmas atrocidades, crueldades e barbáries.

Quem são os responsáveis pela peste da violência? Os perturbados sociais executores do linchamento, os que induziram a esse ato, os que estimulam a violência no país, incluindo a mídia, a falência das instituições (justiça, política e Estado), o desaparecimento dos valores positivos, os governantes que deixam o povo indignado praticando suas indignidades, a sociedade ressentida (rancorosa, odiosa) intolerante, que já não suporta tanta injustiça, gerada pela histórica desigualdade individual e social. Quando vamos compreender que o comunismo fez política de esquerda sem saber fazer políticas econômicas (aliás, foi um desastre)? Quando vamos acordar e perceber que o capitalismo extremamente desigual sabe gerar capital (e o bem-estar de uma pequena parcela da população), mas não sabe fazer políticas sociais de inclusão da classe trabalhadora (cujos salários vêm sendo impiedosamente arrochados no mundo todo)?

Com tanta informação hoje disponível, como é que não vemos que o primeiro (o comunismo) quis repartir bem-estar aos trabalhadores, mas não soube produzir? Que o segundo sabe produzir, mas não quer repartir? Quem ainda não percebeu que o primeiro se tornou insustentável e morreu em praticamente o mundo todo? E que o segundo se transformou numa fábrica de conflitos infinitos, linchamentos e violências, porque a desigualdade é essencialmente um problema de estabilidade e de segurança? (J. Villalobos, El País 8/5/14, p. 37). Com o obscurantismo nunca vamos chegar à emancipação. Temos que começar a pensar o Brasil seriamente e urgentemente (uma vida preservada da barbárie já justifica o esforço).

Por Luiz Flávio Gomes, jurista e diretor-presidente do Instituto Avante Brasil.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Jovem que fez notícia com pôster na JMJ Rio se converteu ao catolicismo e recebeu Batismo no dia de Pentecostes

Eduardo Campos, o jovem evangélico que surpreendeu o Brasil na Jornada Mundial da Juventude JMJ Rio 2013 com um cartaz no qual dizia era evangélico mas que amava o Papa Francisco, converteu-se ao Catolicismo e na Solenidade de Pentecostes, recebeu o Batismo e a Primeira Comunhão. Eduardo tem 19 anos e se fez conhecido em julho de 2013 quando apareceu na televisão com um cartaz que dizia: “Santo Padre, sou evangélico mas eu te amo! Reze por mim e pelo Brasil. Tu és Pedro”.

Logo depois dos intensos dias da JMJ em que mais de três milhões de jovens acompanharam o Santo Padre nas ruas de Rio do Janeiro e lotaram a praia da Copacabana, Eduardo iniciou seu processo de conversão e, em dezembro, tomou a decisão de converter-se à fé católica.


Quase um ano depois da JMJ, o jovem recebeu o Batismo e a Primeira Comunhão acompanhado de seus familiares e amigos na igreja Nossa Senhora da Conceição em Santa Cruz, Rio de Janeiro.

Sobre sua história de conversão, Eduardo expressa que durante a JMJ “o sentimento de felicidade me contagiou. Emocionei-me a cada instante. A unidade da Igreja nos revela sua missão, de onde ela vem, aonde ela vai e quem é Ela”.

Logo depois de comentar que a renúncia ao pontificado de Bento XVI o questionou fortemente, meses antes da JMJ do Rio, o jovem afirma que pede a Deus “que me ilumine e me mostre minha vocação, seja a que for. Eis-me aqui Senhor, faça de mim segundo vossa vontade! Sou um humilde e simples operário na vinha do Senhor”. Eduardo anima ainda os católicos a estudarem o Catecismo da Igreja Católica “que está fundada sobre uma rocha inamovível, Cristo. Seu fundador permanece nela até hoje e estará com Ela para sempre!”.


Depois de contar que já está economizando dinheiro para ir à seguinte JMJ que será na Cracóvia (Polônia) no ano de 2016, Eduardo exorta os jovens a “seguirem firmes e fortes na fé católica. Estudem sempre sobre nossa Igreja. Conheçam a vida dos Santos, dos mártires, dos doutores da Igreja. Conheçam sobre a cristandade, as Sagradas Escrituras, a Sagrada Tradição e a Missa. Sigam Jesus e ‘façam discípulos em todas as nações’”.


Fonte: ACI Digital

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Não depositemos esperança no dinheiro, no poder e na vaidade, diz o Papa.

Francisco referiu-se a corruptos e pessoas que lucram com o tráfico humano, pedindo que o temor de Deus os ajude a ver que, um dia, deverão prestar contas ao Senhor.

Nesta quarta-feira, 11, o Papa Francisco encerrou o ciclo de catequeses sobre os dons do Espírito Santo com uma reflexão sobre o temor de Deus. O Santo Padre esclareceu que esse dom não significa ter medo de Deus, mas recordar como o ser humano é pequeno diante do amor divino.

Francisco explicou que esse dom do Espírito Santo ajuda o homem a se reconhecer como filho amado e, ao mesmo tempo, consolida sua confiança e sua fé, porque o faz ver como sua vida está nas mãos do Senhor. O temor de Deus, então, assume a forma da docilidade, do reconhecimento e do louvor.

“O temor de Deus abre nosso coração, nos faz tomar consciência de que tudo vem da graça e que a nossa verdadeira força está unicamente em seguir o Senhor Jesus e deixar que o Pai derrame sobre nós a Sua bondade e a Sua misericórdia”.

Entretanto, o Santo Padre ressaltou que esse dom do Espírito Santo funciona também como um “alarme”: quando uma pessoa vive no pecado e explora os outros pensando só em si, o temor de Deus lança o alerta de que isso não lhe trará felicidade.

“Ninguém pode levar consigo algo para o outro lado. Somente poderemos levar o amor que o Pai nos dá, os carinhos de Deus aceitos por nós com amor, e aquilo que fizermos aos outros. Cuidado! Não depositemos esperança no dinheiro, no poder e na vaidade. Essas coisas não podem nos prometer nada”.

Francisco citou como exemplo as pessoas que têm responsabilidade sobre as outras e, mesmo assim, se deixam corromper. “Vocês acreditam que um corrupto será feliz do outro lado?”, perguntou o Papa à multidão, respondendo que o fruto da corrupção corrompe também o coração.

O Pontífice citou ainda as pessoas que lucram com o tráfico de seres humanos, exploram os outros e os que fabricam armas para fomentar guerras. “Pensem que profissão é essa! Estou certo de que aqui não há fabricantes de armas, porque essas pessoas não vêm para ouvir a Palavra de Deus. Fabricam a morte, são mercantes de morte. Que o temor a Deus lhes faça compreender que, um dia, tudo acabará e deverão prestar contas ao Senhor”.

Saudações papais

Como de costume, antes da catequese Francisco percorreu a Praça São Pedro de papamóvel saudando os peregrinos reunidos para a audiência geral.

Como hoje foi uma dia quente no Vaticano, 30º, o Papa cumprimentou os enfermos dentro da Sala Paulo VI, também antes do início do encontro público.

“Pensamos que fosse melhor para vocês aqui, mais tranquilo, um pouco mais fresco. E não sob aquele sol que cozinha”, disse Francisco depois de cumprimentá-los pessoalmente.

Fonte: Canção Nova

sábado, 14 de junho de 2014

Juventude olindense se prepara para a Semana Jovem!


A juventude da Paróquia de São Francisco de Rio Doce, Olinda, Pernambuco, realiza em julho a Semana Jovem. Uma semana de louvor, oração, palestras, Missa e shows.

Em breve será divulgada toda a programação...

Você que é jovem de idade e de coração não pode ficar de fora dessa graça!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

O Papa Francisco fala da Copa e da solidariedade

Cidade do Vaticano (RV) - Em videomensagem aos brasileiros sobre a Copa do Mundo de Futebol divulgada quarta-feira, 11, o Papa Francisco afirma que é preciso superar o racismo e que o futebol deve ser uma escola de construção para uma cultura do encontro, que permita a paz e a harmonia.
O Pontífice usa também uma gíria brasileira para defender o espírito de equipe não só no esporte, mas entre as pessoas e culturas: "Não é só no futebol que ser 'fominha' constitui um obstáculo para o bom resultado do time; pois, quando somos 'fominhas' na vida, ignorando as pessoas que nos rodeiam, toda a sociedade fica prejudicada".

O Papa afirma esperar que a Copa seja, além do esporte, festa de "solidariedade" entre os povos.
A Copa começa nesta quinta-feira, 12, com o jogo de abertura entre Brasil e Croácia, em São Paulo. Ao todo, 32 seleções disputarão 64 jogos e a final, marcada para 13 de julho, será realizada no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Abaixo, a íntegra da mensagem do Papa Francisco aos brasileiros:

"Queridos amigos,

É com grande alegria que me dirijo a vocês todos, amantes do futebol, por ocasião da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Quero enviar uma saudação calorosa aos organizadores e participantes; a cada atleta e torcedor, bem como a todos os espectadores que, no estádio ou pela televisão, rádio e internet, acompanham este evento que supera as fronteiras de língua, cultura e nação.

A minha esperança é que, além de festa do esporte, esta Copa do Mundo possa tornar-se a festa da solidariedade entre os povos. Isso supõe, porém, que as competições futebolísticas sejam consideradas por aquilo que no fundo são: um jogo e ao mesmo tempo uma ocasião de diálogo, de compreensão, de enriquecimento humano recíproco. O esporte não é somente uma forma de entretenimento, mas também - e eu diria sobretudo - um instrumento para comunicar valores que promovem o bem da pessoa humana e ajudam na construção de uma sociedade mais pacífica e fraterna. Pensemos na lealdade, na perseverança, na amizade, na partilha, na solidariedade. De fato, são muitos os valores e atitudes fomentados pelo futebol que se revelam importantes não só no campo, mas em todos os aspectos da existência, concretamente na construção da paz. O esporte é escola da paz, ensina-nos a construir a paz.

Nesse sentido, queria sublinhar três lições da prática esportiva, três atitudes essenciais para a causa da paz: a necessidade de “treinar”, o “fair play” e a honra entre os competidores. Em primeiro lugar, o esporte ensina-nos que, para vencer, é preciso treinar. Podemos ver, nesta prática esportiva, uma metáfora da nossa vida. Na vida, é preciso lutar, “treinar”, esforçar-se para obter resultados importantes. O espírito esportivo torna-se, assim, uma imagem dos sacrifícios necessários para crescer nas virtudes que constroem o carácter de uma pessoa. Se, para uma pessoa melhorar, é preciso um “treino” grande e continuado, quanto mais esforço deverá ser investido para alcançar o encontro e a paz entre os indivíduos e entre os povos “melhorados”! É preciso “treinar” tanto…

O futebol pode e deve ser uma escola para a construção de uma “cultura do encontro”, que permita a paz e a harmonia entre os povos. E aqui vem em nossa ajuda uma segunda lição da prática esportiva: aprendamos o que o “fair play” do futebol tem a nos ensinar. Para jogar em equipe é necessário pensar, em primeiro lugar, no bem do grupo, não em si mesmo. Para vencer, é preciso superar o individualismo, o egoísmo, todas as formas de racismo, de intolerância e de instrumentalização da pessoa humana. Não é só no futebol que ser “fominha” constitui um obstáculo para o bom resultado do time; pois, quando somos “fominhas” na vida, ignorando as pessoas que nos rodeiam, toda a sociedade fica prejudicada.

A última lição do esporte proveitosa para a paz é a honra devida entre os competidores. O segredo da vitória, no campo, mas também na vida, está em saber respeitar o companheiro do meu time, mas também o meu adversário. Ninguém vence sozinho, nem no campo, nem na vida! Que ninguém se isole e se sinta excluído! Atenção! Não à segregação, não ao racismo! E, se é verdade que, ao término deste Mundial, somente uma seleção nacional poderá levantar a taça como vencedora, aprendendo as lições que o esporte nos ensina, todos vão sair vencedores, fortalecendo os laços que nos unem.

Queridos amigos, agradeço a oportunidade que me foi dada de lhes dirigir estas palavras neste momento – de modo particular à Excelentíssima Presidenta do Brasil, Senhora Dilma Rousseff, a quem saúdo – e prometo minhas orações para que não faltem as bênçãos celestiais sobre todos. Possa esta Copa do Mundo transcorrer com toda a serenidade e tranquilidade, sempre no respeito mútuo, na solidariedade e na fraternidade entre homens e mulheres que se reconhecem membros de uma única família. Muito obrigado!"
Nota: No texto original em português, foi utilizado o termo futebolístico “fominha” que foi traduzido como 'individualista'. Na linguagem futebolística italiana, o vocábulo correspondente a “fominha” – aquele jogador que não passa a bola nunca – é “veneziano”. O termo “veneziano” pertence ao vocabulário esportivo popular e indica o jogador de futebol que, por ser dotado de boa técnica individual, excede no drible e termina por perder a bola para o jogador adversário ou por retardar a fluidez da ação do time. O termo vem da convicção que os habitantes de Veneza têm de querer fazer tudo sozinhos. Neste propósito se diz: “aquele ali é um veneziano, faz tudo sozinho”.

Fonte: http://www.news.va/pt

Olinda tem jeito só falta um prefeito!

A cidade de Olinda está em completo retrocesso e abandono, a população vem sofrendo com a administrações do PCdoB. A saúde sucateada, inexistência de hospital público municipal, postos de saúde com as portas fechadas, agentes comunitários trabalhando em condições precárias, dezenas de obras abandonadas e inacabadas, falta de qualidade na educação e a questão da mobilidade, com destaque para a Avenida Presidente Kennedy.

Ainda temos mais de dois anos para suportar essa má administração, mas agora pergunto, meu caríssimo olindense: em 2016 você ainda vai acreditar no PCdoB?

Não podemos esperar tanto tempo, temos que nos mobilizar já de agora para a mudança! 

Vamos cobrar providencias dos nossos vereadores? Vamos criar comissões populares para reivindicar nossos direitos junto aos órgãos públicos?

Olinda precisa é de gente competente e de sangue novo! 

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Jovens olindenses criam o movimento Força Jovem Católica


Ontem um grupo de 17 pessoas entre jovens e adultos se reuniram no bairro de Rio Doce, subúrbio de Olinda, para discutirem sobre a dura realidade do descaso público em que se encontra a sua cidade. A saúde cada vez mais precária, o crescente nível de insegurança, o descaso com a educação e a esquecida infra-estrutura são as maiores preocupações deste grupo.

Também há uma preocupação com o futuro da juventude e família, pois não há um ensino técnico acessível aos mais pobres, não há áreas de lazer adequadas e não há incentivo cultural e esportivo de qualidade.

Qual futuro queremos para Olinda? Como viverão os nossos filhos e os nossos netos nesta cidade? Que legado deixaremos para as próximas gerações?

É importante termos essas respostas o quanto antes e sermos os primeiros a dar um passo que mude essa triste realidade em que vivemos. Precisamos discutir e definir projetos sustentáveis e não ações paliativas.

Como fruto desta reunião foi criado um movimento denominado de Força Jovem Católica, que vai se reunir periodicamente para debater sobre a família, a juventude, a cultura e a política, dentro da fé e da doutrina católica. Vamos desenvolver ações sociais, culturais e evangelizadoras em Olinda junto as comunidades carentes.


Jovem olindense faça parte deste movimento e seja proativo em sua cidade!

Saiba mais em https://www.facebook.com/forcajovemolinda

Contatos (81) 9847.7820 (TIM) / 8216.9377 (whatsapp)

terça-feira, 10 de junho de 2014

Louvor e muita alegria marcaram o Dia de Pentecostes na Arquidiocese de Olinda e Recife

Jornada Arquidiocesana da Juventude

“A Igreja é viva! A Igreja é jovem!”. A expressão que ganhou força durante os eventos do Bote Fé, um ano antes da Jornada Mundial da Juventude, deixou de ser um “grito de guerra” e passou a ser uma certeza. Foi o que ficou claro na terceira edição da Jornada Arquidiocesana da Juventude realizada neste domingo (8), na Boa Vista. Depois de momentos de reflexão em sete pontos diferentes do bairro, centenas de jovens lotaram o Santuário de Nossa Senhora de Fátima para celebrar.

Com a presença do arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, foi lançado o Plano Arquidiocesano da Juventude. “Este documento representa um passo importante dos jovens de nossa arquidiocese que cada vez mais vão se tornando protagonistas em nossa Igreja. Fico muito feliz em poder partilhar deste momento com vocês. Agora é por em prática estas diretrizes”, afirmou o pastor.

Outra novidade que marcou o evento juvenil foi o lançamento do projeto “Bote fé com esperança na juventude”. A partir desta segunda-feira (9), sete réplicas da Cruz Missionária e do ícone da Mãe de Deus percorrerão as paróquias dos vicariatos. Serão duas semanas de orações, reflexões, momentos de louvor e diversas outras atividades de evangelização. A jornada encerrou com uma caminhada animada conduzida pelo Ministério de Música Reluzir, da cidade de Moreno. As centenas de jovens rezaram e cantaram pelas ruas do Centro do Recife até o Pátio do Carmo.

Pentecostes

O Pátio do Carmo, no bairro de Santo Antônio, no Recife, ficou pequeno para os milhares de fiéis que celebraram a Solenidade de Pentecostes. As 115 paróquias representadas pela fé e perseverança dos paroquianos. A Igreja unida e reunida para celebrar o seu aniversário. Diversidade de dons e um mesmo Espírito. Não havia limite de idade jovens e idosos de mãos dadas, cantando, louvando e rezando.

No início da tarde, cantores e religiosos se revezaram no palco. Comunidade Boa Nova, frei Damião Silva, padre João Carlos, Cristina Amaral e Zé Vicente cada um no seu estilo cantou a esperança e a paz transformando o pátio em um grande cenáculo a céu aberto.

No cortejo litúrgico, os vigários gerais conduziram as relíquias de São João XXIII e São João Paulo (fragmento ósseo e gota de sangue, respectivamente). Além de cálice e casula. Presentes deixados pelo Santo Padre João Paulo II quando visitou o Recife em 1980. Os objetos de devoção irão percorrer as paróquias da arquidiocese a partir do Vicariato Recife Norte 1. Serão dois meses em cada Região Episcopal.

Dezenas de padres, religiosos, diáconos e seminaristas participaram da Concelebração Eucarística presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Fernando Saburido. O arcebispo convocou os fiéis a serem comprometidos com a Igreja e a missão através dos gestos e palavras. “Que nós possamos nesse Dia de Pentecostes renovar o nosso compromisso missionários. Crescer na consciência que a Igreja nos chama a um estado permanente de missão. Possamos dar sempre o nosso sim. Não nos omitamos jamais a contribuir com a caminhada da Igreja”, pediu Dom Fernando.

Fonte: Arquidiocese de Olinda e Recife

segunda-feira, 9 de junho de 2014

A FIFA quis cancelar a Festa de Pentecostes em Brasília.

Não deixa de causar admiração que a capital do maior país católico do mundo se reúna, quase completamente, para rezar e se preparar para a celebração do Pentecostes.

Com a presença de autoridades civis, senador,  Governador do Distrito Federal, Deputados, mas principalmente de uma numerosa multidão, o Taguaparque,situado no Pistão Norte da região administrativa de Taguatinga, em Brasília, está sendo palco de uma grande oração em preparação à festa de Pentecostes.

Caravanas, ônibus de todo o Brasil e até alguns grupos de estrangeiros marcam presença na já conhecida festa de Pentecostes em Brasília.

“Sim à Pentecostes, não à politicagem”, estava escrito na camiseta de um dos participantes, embora a presença de algumas pessoas distribuindo panfletos políticos seja quase inevitável, por causa da proximidade das eleições em Outubro.

O Pe. Moacir Anastácio, sacerdote da arquidiocese de Brasília, teve a inspiração, há 16 anos, de se reunir com os seus fieis durante 8 dias, seguindo o mandato do Senhor de esperar em Jerusalém, como os apóstolos com Maria.

Sua linguagem é clara – apesar de alguns poucos deslizes de português – é direta, usa a linguagem do povo e chega ao coração. Quem já teve contato com as homilias de São João Maria Vianney encontra certa semelhança na pregação que se resume em dizer ao povo que Deus os ama.

“De todas as religiões, partidos, de todas as bandeiras e cidades, sejam todos bem-vindos. Só o inimigo não é bem-vindo aqui”, afirmou o sacerdote no início da celebração, mostrando como o  Espírito Santo tem a força de unir os seres humanos. Há um forte caráter ecumênico nesse evento que conta também com a presença de pessoas de outras religiões.

Pe. Moacir anastácio refletiu em sua homilia sobre o fogo que Jesus já tinha preparado na praia – quando apareceu à Pedro (Cf. Jo 21,15-19) - e como esse fogo aquece o coração dos apóstolos, especialmente o de Pedro. Jesus vai dizer à Pedro “A partir de hoje, apascenta as minhas ovelhas. Eu quero recomeçar contigo, Pedro” e o primeiro Papa entende que “não dá mais pra ficar jogando a rede lá no lago da Galiléia. Mas é hora de apascentar as suas ovelhas”.

“Se você quiser esquecer o passado – afirmou o sacerdote durante a homilia – se lançar, dar um passo e crer somente no poder de Deus, na misericórdia de Deus… faça, esse Deus não vai deixar você cair. Pedro é o nosso primeiro líder, o nosso primeiro Papa, e não fracassou”.

O local da festa de Pentecostes sediará também o Fifa Fan Fest. O Pe. Moacir comentou aos fieis que há quatro meses participou de uma reunião com “todas as autoridades, pessoas poderosas dessa cidade” e com responsáveis da FIFA. Naquela ocasião, afirma o sacerdote, foi-lhe pedido para não realizar nesse ano o Evento de Pentecostes, já que é o ano da Copa e, de acordo com o sacerdote, lhe disseram: “Padre, nesse local que você faz o palanque vamos ter aqui um grande palco onde os cantores do Brasil vão cantar, e vamos gastar milhões e milhões”. E – disse-lhes o Pe. Moacir: “eu vou fazer o Pentecostes em nome de Jesus Cristo”. E, perguntou aos fieis, relembrando a história de Davi e Golias, “E cadê o palco da Fifa? Aqui não. Aqui é de Jesus Cristo”.

Todavia, o sacerdote também falou que o evento de Pentecostes tem valorizado e muito o Taguaparque. Recordou que, desde que o evento passou a ser realizado nesse local, há 4 anos, “o parque começou a se tornar realmente um parque” e ter o apoio do governo. “Quando cheguei isso aqui era só um buraco”- afirmou o sacerdote – “e hoje, até a FIFA quer vir pra cá.”

Fonte: comshalom.org

sábado, 7 de junho de 2014

Jornada Arquidiocesana da Juventude e Festa de Pentecostes serão realizadas neste domingo

O próximo domingo, dia 8, será marcado por uma série de atividades religiosas na Arquidiocese de Olinda e Recife. As celebrações começarão às 9h com a terceira edição da Jornada Arquidiocesana da Juventude (JAJ) e terminarão por volta das 19h, com o encerramento da Missa de Pentecostes. Para a Igreja, a data remete à passagem bíblica onde os apóstolos estavam reunidos com medo dos judeus, e o Espírito Santo se manifestou como línguas de fogo e eles então passam a anunciar o cristianismo. O episódio marca, também, o fim do período pascal e o início do tempo litúrgico comum para os católicos.

Neste ano, os jovens iniciarão a jornada arquidiocesana em sete locais do bairro da Boa Vista, simultaneamente. Os chamados pontos de reflexão inter-expressões que devem reunir integrantes de pastorais, movimentos, congregações e novas comunidades serão realizados na Matriz do Santíssimo Sacramento; Igreja Nossa Senhora do Rosário; Igreja da Santa Cruz; Convento das Irmãs da Glória; Faculdade Frassinetti do Recife; Colégio São José e Matriz da Soledade.

A partir das 10h, terá início uma caminhada do primeiro ao sétimo ponto. Em seguida, a juventude seguirá para o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, também na Boa Vista, onde deverão se encontrar com o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido. O religioso participará da apresentação do Plano de Evangelização da Juventude e do lançamento do projeto “Bote fé com esperança na juventude”.

Pentecostes 2011

Depois de uma pausa para o almoço, um trio elétrico arrastará a multidão de jovens pelas ruas do Centro do Recife até o Pátio da Basílica de Nossa Senhora do Carmo, no bairro de Santo Antônio. No local, a juventude se encontrará com pessoas de todas as idades e de diversas paróquias da arquidiocese que estarão reunidas para celebrar a Festa de Pentecostes 2014.

Com o tema “Evangelizar com esperança na alegria do Espírito”, a tarde será de muito louvor com o frei Damião Silva, Zé Vicente, padre João Carlos, Cristina Amaral, Comunidade Boa Nova e Dudu do Acordeon. Ainda durante o evento será divulgado o roteiro de peregrinação das relíquias dos santos João XXIII e João Paulo II, que passarão, juntamente com as réplicas da cruz missionária e o ícone da Mãe de Deus, por todos os vicariatos da arquidiocese. O primeiro vicariato a receber as relíquias será o Recife Norte 1. Dom Saburido preside a missa de encerramento a partir das 17h.

Fonte: Arquidiocese de Olinda e Recife

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Arcebispo recebe pastores anglicanos na Cúria Metropolitana do Recife.

Na Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, o arcebispo de Olinda e Recife recebeu, na manhã desta sexta-feira (06), na Cúria Metropolitana, bairro das Graças, a visita de três pastores da Igreja Anglicana Missionária do Redentor (Rito Católico). O encontro fraterno entre dom Fernando Saburido e o bispo primaz dos anglicanos, dom Marcos Fradique Bezerra, foi acompanhado pelos franciscanos, dom Antônio Pessoa Leite, OFS e dom Carlos Augusto Alves de Souza, OFS.

“Esta visita foi para firmarmos um diálogo que queremos que seja permanente com a Igreja Católica Romana. Nosso intuito é estar cada vez mais perto da Arquidiocese de Olinda e Recife, na pessoa de dom Fernando, para no futuro realizarmos boas parcerias”, afirmou dom Marcos Fradique, que foi padre da Congregação dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada, ordenado em 1987, pelo então arcebispo de Olinda e Recife, dom Helder Camara.

A Igreja Anglicana Missionária do Redentor (Rito Católico) tem sede no bairro de Pau Amarelo, na cidade do Paulista, Região Metropolitana do Recife. Segundo dom Antônio Pessoa, a comunidade foi fundada em 1991 por missionários franciscanos anglicanos.

Para dom Fernando o encontro com os irmãos anglicanos foi muito agradável e certamente ajudará a aproximar as igrejas. O arcebispo agradeceu a visita e disse que espera novos momentos fraternos.

Celebrações

As comemorações da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, na arquidiocese seguem até sábado (07). Nesta sexta-feira, haverá encontro na Paróquia Anglicana Jardim das Oliveiras, no bairro de Setúbal, Zona Sul do Recife. Amanhã, a última celebração será no bairro de Rio Doce, em Olinda, na Capela Espírito Santo, a partir das 19h.

O presidente da Comissão Arquidiocesana de Pastoral para o Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso, frei Tito Figueirôa, solicita que as paróquias, comunidades e instituições religiosas rezem durante este período a Oração pela Semana de Unidade. A prece deve ser rezada no final da Missa ou de outra celebração.

Oração para a Semana de Orações pela Unidade dos Cristãos

Ó Eterno Pai, nas divisões entre nós, cristãos, damos a impressão de que “o Cristo Jesus está dividido”, como reclamou o apóstolo São Paulo, a respeito do comportamento da comunidade de Corinto. Por isso vos pedimos perdão, Senhor Deus, e a graça de nos motivarmos a sempre construir a unidade e a tolerância fraterna, entre nós e nossos irmãos, e deste modo sermos sinal de esperança e compromisso, sob a força transformadora do Espírito Santo. Amém.

Fonte: Arquidiocese de Olinda e Recife

Celebração pede paz no futebol

Muitas paixões e um só time. O time da paz. Na noite desta segunda-feira, 2, não houve partida de nenhum clube pernambucano. Entretanto, torcedores foram até a Igreja Santa Cruz, no bairro da Boa Vista, área central do Recife, para participar da Missa pela Paz no futebol. A celebração foi presidida pelo arcebispo de Olinda e Recife e torcedor do Sport, Dom Fernando Saburido. A Missa também foi uma homenagem ao jovem Paulo Ricardo Gomes, 26 anos, morto após ser atingido por um vaso sanitário arremessado das arquibancadas do Estádio do Arruda.

Familiares de Paulo Ricardo, diretores e presidentes do Náutico, Sport e da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), além de representantes do Governo do Estado e Polícia Militar de Pernambuco participaram da cerimônia. ”A fé é essencial na vida de cada ser humano e na nossa vida nesse momento de tanta tribulação. É somente com a fé que a gente espera em Deus superar esse momento”, ressaltou o tio de Paulo Ricardo, Tiago Valdevino.

O arcebispo espera que a morte do torcedor seja o início de tempos de paz. “Que o 30º dia de falecimento do Paulo Ricardo contribua para a construção de uma cultura de paz. De modo que vamos lutar, pelo menos aqui em Pernambuco, para que haja mais respeito ao outro e que o esporte contribua para o bem estar e unidade dos irmãos”, salientou Dom Fernando.

Cinco bispos concelebraram com Dom Fernando, Dom Severino Batista (Diocese de Nazaré – PE), Dom Bernardino Marchió (Bispo de Caruaru – PE), Dom Magnus Henrique (Diocese de Salgueiro – PE), Dom Aldo Pagotto (Arquidiocese da Paraíba – PB) e Dom Edvaldo Amaral (bispo emérito da Arquidiocese de Maceió – AL). Padres e religiosos também participaram da celebração.

Torcedores do Náutico, Santa Cruz e Sport ofertaram as bandeiras dos clubes. Um amistoso abraço concluiu o gesto.

Dom Bernardino Marchió torce para que a fraternidade possa reinar no futebol. “Celebrar esta festa do esporte é celebrar o desejo de viver mais em comunhão entre todas as torcidas. Está chegando a Copa do Mundo. Vamos torcer para que a violência não tome conta desse espetáculo. Que a violência seja banida e a paz una os torcedores”, disse o bispo de Caruaru.


No fim da celebração, o coral do Colégio Salesiano se apresentou. No repertório, canções religiosas com a temática da paz e amor ao próximo.

Fonte: Arquidiocese de Olinda e Recife

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Qual a diferença de votar branco ou nulo nas eleiçoes 2014?

Você é jovem e vai votar pela primeira vez este ano? Tem dúvidas sobre o processo eleitoral ou é eleitor, mas somente agora se interessou em saber alguns assuntos relacionados às eleições? Já é hora de saber o valor das eleições 2014 para o exercício da cidadania, principalmente quanto ao voto e o que este significa. 

A seguir você saberá qual a diferença entre votar em branco e votar nulo.


Muitos eleitores tem dúvida nas suas escolhas e não sabem quem votar e preferem votar em branco ou nulo, mas qual a diferença? Qual dessas duas opções é a melhor no processo eleitoral?    
          
Existem diferenças quando se escolhe branco e nulo. O voto em branco nas eleições 2014 embora muitas pessoas pensasse que a pessoa não votou em candidato nenhum, na verdade significa que a pessoa abdicou seu direito de votar. Outras pessoas veem o voto em branco como forma de contestação, mas na verdade é um conformismo, também significa “tanto faz” e são acrescentados os votos para os candidatos com maior votação no último turno. Por exemplo, se existem dois candidatos X e Y e X termina o primeiro turno com 52% dos votos e o candidato Y com 35% dos votos, 10% dos votos é branco e 3% nulo, isso significa que 3% dos eleitores não querem que o candidato X e nem Y no poder e o que vender estará bom. Então, desta forma o candidato X tem 62% de aceitação do eleitorado.

Agora para quem deseja fazer um protesto na hora da eleição 2014, a forma mais certa de fazer isso é o voto nulo, pois esse significa que o eleitor não está satisfeito com a proposta de nenhum candidato e se recusa a votar em um ou outro candidato. Esse tipo de voto é mais efetivo para quem quer exercer sua democracia, pois este permite que o eleitor manifeste a sua insatisfação e é uma forma válida de manifestar sua insatisfação. Mas, ninguém fala em como votar nulo nas instruções, somente como votar em branco. Por que será que isso não é feito? 

Para fazer isso, é necessário digitar um numero inexistente de candidato e na sequência aperta-se em confirmar (o botão verde da urna). Quando o eleitor coloca o voto em branco o sistema da urna informa que “você está votando em branco” e então o eleito confirma ou corrige, mas quando o eleitor coloca um número existente, o sistema da urna responde de forma negativa e o sistema responde ”número incorreto, corrija seu voto”, isto muitas vezes faz o eleitor se desencorajar ao nulo, mas este é um direito de democracia que os eleitores têm. Este voto é o único válido que pode inclusive anular uma eleição inteira, pois se nenhum candidato conseguir a maioria dos votos (mais de 50%) no último turno, as eleições têm que ser cancelada, por isso não se fala em voto nulo, somente em branco. 

Por isso, se está descontente? Vote nulo nas eleições 2014, pois este é seu direito. Mas o melhor a se fazer é pesquisar os candidatos e tentar escolher o melhor.

Fonte: http://eleicoes2014.org/

Dá ao Altíssimo conforme te foi dado por Ele

Dá ao Altíssimo conforme te foi dado por ele, dá de bom coração de acordo com o que tuas mãos ganharam, pois o Senhor retribui a dádiva, e recompensar-te-á tudo sete vezes mais. Eclo 35, 12-13.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Ministério da Saúde revoga Portaria 415 sobre aborto no SUS

O Ministério da Saúde revogou na última quinta-feira, 29 de maio, a Portaria 415 que incluía procedimentos para casos de aborto, previstos em lei, na tabela do Sistema Único de Saúde (SUS).

A Portaria publicada na semana passada, estabelecia que o Governo deveria pagar R$ 443,30, por cirurgia, aos hospitais e alterava, também, o nome do procedimento de “curetagem” para “interrupção da gestação ou antecipação do parto”.

Durante a 6ª Peregrinação Nacional da Família que reuniu mais de 180 mil participantes de diversas regiões do Brasil, em Aparecida (SP), dias 24 e 25 de maio, os participantes emitiram manifesto no qual lamentavam a decisão do Governo Federal em favorecer a prática do aborto em hospitais públicos. “Nós, famílias brasileiras, queremos seguir a luz de Cristo e a sabedoria do Evangelho, para viver o amor que humaniza e que introduz a solidariedade e a paz na convivência social”.

O Movimento Nacional da Cidadania pela Vida ‘Brasil sem Aborto’ que lançou no último dia 26, nota explicando as contrariedades na Portaria, emitiu uma segunda nota sobre a revogação da Portaria.

“Como explicamos em nota do dia 26 de maio de 2014, muito nos preocupava a Portaria 415 do Ministério da Saúde. Esta ampliava as possibilidades do aborto no Brasil e trazia grande inconsistência jurídica, permitindo interpretações distorcidas da lei 12.845/2013, indevidamente citada na referida Portaria”, destaca a nota do Movimento Brasil sem Aborto.

Leia a nota na íntegra.

Nota Pública do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto – sobre a Portaria n°437, de 29 de maio de 2014, que revoga a Portaria 415, que tratava do aborto na rede SUS
 Como explicamos em nota do dia 26 de maio de 2014, muito nos preocupava a Portaria 415 do Ministério da Saúde. Esta ampliava as possibilidades do aborto no Brasil e trazia grande inconsistência jurídica, permitindo interpretações distorcidas da lei 12.845/2013, indevidamente citada na referida Portaria. Essa lei não diz respeito ao aborto propriamente dito, embora inclua o uso da pílula do dia seguinte, vagamente referida como “profilaxia da gravidez”, e traz outros termos ambíguos. As inconsistências poderiam levar, entre outros, a:

- Realização do aborto dito “legal” – que não existe na lei brasileira – em toda a rede do SUS, e não apenas nos hospitais de referência, como é atualmente.

- Que todos os hospitais da rede SUS, inclusive os confessionais, fossem obrigados à prática do aborto.

- Que o aborto em caso de estupro pudesse ser ampliado para uma vaga expressão “relação sexual não consentida”.

 Assim, é com alívio e alegria que tomamos conhecimento da publicação da Portaria 437, que revoga a Portaria 415.

Parabenizamos os parlamentares, as entidades e todos os cidadãos brasileiros que, assim como nós, se empenharam para essa revogação. Destacamos que seguem pendentes:

 - A regulamentação adequada da lei 12.845, explicitando o seu objetivo de atendimento emergencial às vítimas de violência, que está pendente desde a sua publicação.

- A urgente tramitação, no Congresso Nacional, do PL 6022/2013, com os apensados, para que a lei 12.845, cheia de ambiguidades e aprovada em circunstâncias que impediram o devido debate democrático, seja revogada, ou reformulada, de acordo com a vontade dos representantes do povo.

Comissão Executiva Nacional do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto. Brasília, 29 de maio de 2014.
Lenise Garcia – Presidente Nacional
Jaime Ferreira Lopes – Vice-Presidente Nacional Executivo
Damares Alves – Secretária Geral

Fonte: Portal A12

Tá na hora de acordar, povo de Deus!

O povo trabalha duro e não tem condições de um lazer decente em sua própria cidade, mas a maioria dos parlamentares pernambucanos se dão ao luxo de viagens particulares ao exterior, em plena atividade legislativa sem que sejam descontados os dias perdidos.

Isso acontece porque não acompanhamos os políticos que escolhemos, não questionamos as suas más inclinações, quando são denunciados deixamos o tempo apagar as lembranças e nas eleições mantemos os seus mandatos.

Está na hora de acordar, povo de Deus! O nosso protesto é nas urnas e não nas ruas!

Só uma coisa nesta matéria me deixou com mais esperança, foi o fato de não ver nesta lista o nome do Deputado Ricardo Costa, um legítimo olindense e parlamentar atuante, o qual conheci a pouco tempo e que vem conquistando a minha estima.

Deus abençoe a cidade de Olinda e o deputado estadual Ricardo Costa!







terça-feira, 3 de junho de 2014

Caminhada católica em Rio Doce arrasta 2 mil pessoas em favor da Paz


A primeira Caminhada com Jesus e Maria pela Paz, realizada pelas paróquias Assunção de Maria e São Francisco, percorreu as ruas do bairro de Rio Doce e lotou o ginásio da Vila Olímpica, no dia 31 de maio.

Este evento encerra o Mês Mariano e une essas duas paróquias na intenção de conscientizar a população sobre a violência em Olinda.

O trajeto foi feito em todas as etapas do bairro suburbano de Rio Doce com um trio elétrico, animado pelo Frei Damião Silva e Banda. No encerramento foi realizado a Santa Missa, celebrada pelo Padre Marcos Antônio (Paróquia Assunção de Maria), Padre Manoel Messias (São Francisco) e Padre Célio Casale (Arautos do Evangelho) e animado por um ministério formado por artistas das duas paróquias.

Esta caminhada foi um exemplo da força da Igreja Católica e do povo olindense que vestiram a causa da Paz.

Deus abençoe os organizadores, os voluntários e os patrocinadores desta grande obra de Jesus, pelas mãos de Maria!

Moradores de Rio Doce

Santa Missa na Vila Olímpica

Frei Damião Silva

O povo olindense é de Fé e pede Paz

Rio Doce grita pela Paz

Padre Marcos Antônio

Presença de Josenildo Sinésio

Viva Nossa Senhora!


Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos na arquidiocese terá três celebrações ecumênicas

O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs no Brasil (Conic) promove entre os dias 1 e 8 de junho a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SUOC). Durante toda a semana são realizados diversos momentos ecumênicos de espiritualidade e reflexão. O tema da SUOC 2014 é “Acaso Cristo está dividido?” (1Cor 1, 1-17). A Arquidiocese de Olinda e Recife participa através da Comissão Arquidiocesana de Pastoral para o Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso presidida pelo frei Tito Figuerôa.

Até o próximo sábado serão realizadas três celebrações. A primeira delas será nesta quarta-feira, 4, a partir das 18h, na capela da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), bairro da Boa Vista, área central do Recife. Haverá encontro na sexta-feira, 6, na Paróquia Anglicana Jardim das Oliveiras, no bairro de Setúbal, Zona Sul do Recife. A última celebração será no bairro de Rio Doce, em Olinda, na Capela Espírito Santo a partir das 19h.

Frei Tito solicita que as paróquias, comunidade e instituições religiosas rezem durante este período a Oração pela Semana de Orações. A prece deve ser rezada no final da Missa ou de outra celebração.

Oração para a Semana de Orações pela Unidade

Ó Eterno Pai, nas divisões entre nós, cristãos, damos a impressão de que “o Cristo Jesus está dividido”, como reclamou o apóstolo São Paulo, a respeito do comportamento da comunidade de Corinto. Por isso vos pedimos perdão, Senhor Deus, e a graça de nos motivarmos a sempre construir a unidade e a tolerância fraterna, entre nós e nossos irmãos, e deste modo sermos sinal de esperança e compromisso, sob a força transformadora do Espírito Santo. Amém.

História - Promovida mundialmente pelo Conselho Pontífice para Unidade dos Cristãos (CPUC) e pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI), a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC) acontece em períodos diferentes nos dois hemisférios. 

No hemisfério Norte, o período tradicional para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC) é de 18 a 25 de janeiro. Essas datas foram propostas em 1908, por Paul Watson, pois cobriam o tempo entre as festas de São Pedro e São Paulo, e tinham, portanto, um significado simbólico.

No hemisfério Sul, por sua vez, as Igrejas geralmente celebram a Semana de Oração no período de Pentecostes (como foi sugerido pelo movimento Fé e Ordem, em 1926), que também é um momento simbólico para a unidade da Igreja. No Brasil, o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) lidera e coordena as iniciativas para a celebração da Semana em diversos estados.

CELEBRAÇÕES DA SEMANA DE ORAÇÕES PELA UNIDADE DOS CRISTÃOS/ SOUC

04 de junho (quarta-feira)
Local: Capela da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap)
Rua do Príncipe, 526, Boa Vista – Recife
Horário: 18 h

06 de junho (sexta-feira)
Local: Paróquia Anglicana Jardim Das Oliveiras
Rua Camboim 70, Setúbal – Recife
Horário: 19h

07 de junho (sábado)
Local: Capela Espírito Santo
Paróquia São Francisco de Assis, Rio Doce – Olinda
Horário: 19h

Fonte: Arquidiocese de Olinda e Recife

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Papa recorda Dia Mundial das Comunicações Sociais

Neste domingo, 1º, celebrou-se o Dia Mundial das Comunicações Sociais. No Vaticano, o Papa Francisco recordou a data após a oração mariana do Regina Coeli, destacando a contribuição que os meios de comunicação podem dar para a cultura do encontro e unidade da família humana.

“Os meios de comunicação social podem favorecer o sentido de unidade da família humana, a solidariedade e o empenho para uma vida digna para todos. Rezemos para que a comunicação, em todas as suas formas, esteja efetivamente a serviço do encontro entre as pessoas, as comunidades, as nações; um encontro baseado no respeito e na escuta recíproca”.

A mensagem do Pontífice para a data deste ano tem como tema “Comunicação ao serviço de uma autêntica cultura do encontro”. No texto divulgado em janeiro de 2014, o Santo Padre destaca que, em um mundo globalizado mas ainda marcado por tantas divisões, os meios de comunicação podem contribuir para a proximidade entre as pessoas.

“Uma boa comunicação ajuda-nos a estar mais perto e a conhecer-nos melhor entre nós, a ser mais unidos. Os muros que nos dividem só podem ser superados, se estivermos prontos a ouvir e a aprender uns dos outros”, escreve Francisco.

Para indicar o modo como os meios de comunicação podem estar a serviço da cultura do encontro, o Papa menciona na mensagem a parábola do Bom Samaritano. “Quem comunica faz-se próximo. E o bom samaritano não só se faz próximo, mas cuida do homem que encontra quase morto ao lado da estrada (…) Comunicar significa tomar consciência de que somos humanos, filhos de Deus. Apraz-me definir este poder da comunicação como ‘proximidade’”.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais é celebrado todos os anos. A data foi uma iniciativa do Papa Paulo VI em maio de 1967. Na época, a mensagem despertava a reflexão para os meios de comunicação mais modernos como a imprensa, o cinema, o rádio e a televisão.

Fonte: Canção Nova

domingo, 1 de junho de 2014

Dioceses pernambucanas se unem pela Paz no Futebol


A Arquidiocese de Olinda e Recife acredita no futebol como um esporte saudável e de integração independente do time de coração. Consciente do papel de toda a sociedade no combate à violência, o arcebispo metropolitano, Dom Fernando Saburido, presidirá Missa pela Paz no Futebol. A celebração também marca o 30º dia de falecimento do torcedor Paulo Ricardo Gomes morto após a partida Santa Cruz x Paraná. A Missa será realizada na próxima segunda-feira, 02 de junho, na Igreja Santa Cruz, na Boa Vista, partir das 20h. A celebração é aberta ao público e a todas as torcidas.

Torcedor do Sport de carteirinha, Dom Fernando, não celebrará sozinho. Convidou o bispo da Diocese de Nazaré e alvirrubro, Dom Severino Batista, e o bispo da Diocese de Caruaru e tricolor, Dom Bernardino Marchió, para concelebrarem.

O arcebispo repudiou, através do perfil no Facebook, o ato de violência ocorrido no dia 02 de maio que resultou na morte do torcedor Paulo Ricardo Gomes. O jovem foi atingido por uma bacia sanitária quando saia do Estádio do Arruda, Zona Norte do Recife. O fato ocorreu após a partida Santa Cruz X Paraná pelo Campeonato Brasileiro da Série B. A notícia entristeceu e manchou de sangue o futebol pernambucano. “Futebol é alegria e fraternidade. Mas há algum tempo o esporte no Brasil tem sido lembrado por atos de violência. Não podemos assistir casos como esses de braços cruzados. Temos que fazer algo para mudar essa triste realidade”, ressaltou o religioso.

Unir as torcidas em uma celebração religiosa é um grito pela paz. “A diferença não nos faz menores do que os outros. Torcer por clubes diferentes é, na verdade, algo que deveria enriquecer. Não haveria esporte se todos torcessem por um mesmo time. A rivalidade tem que ser algo salutar. As brincadeiras existem e há muitas delas criativas, mas nunca devem ultrapassar o limite do bom senso”, disse Dom Fernando. A Missa também antecede a Copa do Mundo

Missa pela Paz no futebol
Local: Igreja Santa Cruz
Rua da Santa Cruz, 413 – Boa Vista – Recife
Dia: 2 de junho de 2014 (segunda-feira)
Horário: 20h

Fonte: Site da Arquidiocese de Olinda e Recife