quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Ações da Pastoral da Criança contribuem para diminuir desnutrição

O país recorda o Dia de Combate à Desnutrição, na segunda-feira, 29, com sensação de vitória. A desnutrição infantil aguda, entre crianças de zero a cinco anos, diminuiu 90% nos últimos 30 anos, segundo o estudo Saúde Brasil 2009, divulgado pelo Ministério da Saúde, em dezembro do ano passado. Os dados também apontam a redução de 70% dos casos de desnutrição crônica, nesta mesma faixa etária.

De acordo com o médico epidemiologista e coordenador adjunto da Pastoral da Criança, Dr. Nelson Arns, a evolução da escolaridade da mãe, investimentos na prevenção de doenças, saneamento básico e a melhoria na renda das famílias foram questões imprescindíveis para diminuir a desnutrição no país.

A Pastoral da Criança, criada em 1983, pela médica Zilda Arns, começou um trabalho de acompanhamento de crianças desnutridas e de suas respectivas famílias, o que contribuiu para vencer o problema.

“O fato da mãe ter condições para estudar, e assim, conhecer os mecanismos da doença, permitiu que ela cuidasse melhor do seu filho, e a Pastoral ajudou a suprir essa lacuna na formação da mãe”, explica o coordenador.

Outro aspecto importante foi que a Pastoral da Criança conseguiu provar que era possível evitar doenças na comunidade, investindo na prevenção e ensinando às mães métodos simples para cuidar da saúde dos filhos.
Embora a desnutrição não tenha sido extinguida, Dr. Nelson explica que ao contrário do que se via no passado – onde todos passavam fome e era necessário combater o problema de forma coletiva -, atualmente os casos são mais específicos de famílias que não tem condições.

“[Atualmente] é mais uma questão pontual e de falta de solidariedade para ajudar essa família que tem dificuldades, do que um problema de desnutrição por falta de comida”, ressalta.
Outro fator é a questão da saúde das crianças. Segundo o médico, ao começar a acompanhá-las, é preciso verificar se há alguma doença que esteja impedindo seu bom desenvolvimento, como problemas cardíacos ou problemas de absorção dos alimentos.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Os bispos do Brasil e a Caridade


Sob o tema “Na tríplice missão da Igreja: a Caridade”, 21 arquidioceses e dioceses que compõem o Regional Nordeste 2 da CNBB (Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte), estarão reunidas no Convento de Santo Antônio, no município de Lagoa Seca, na Paraíba, para sua 46ª Assembleia Pastoral Regional. O bispo emérito de Catanduva (SP), dom Antônio Celso Queirós, será o assessor do evento, que será realizado de 1 a 4 de setembro.

“A Assembleia Pastoral Regional é a instância mais representativa da vida do Regional Nordeste 2 que, a cada ano, se vê, se questiona e planeja suas atividades, diante dos apelos e desafios da sua missão”, explicou o presidente do Regional Nordeste 2 e bispo de Palmares (PE), dom Genival Saraiva de França.

O bispo falou ainda sobre as expectativas para o evento, que, segundo ele, se beneficia por acontecer sob as luzes das novas Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE), traçadas para o quadriênio 2011-2015; e sob os efeitos benéficos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que aconteceu em Madri, Espanha, cuja próxima edição, em 2013, será no Rio de Janeiro. “Temos muito a esperar da 46ª Assembleia Pastoral Regional. Vamos nos preparar, com a oração e o coração, a fim de que os frutos esperados desta Assembleia possam ser colhidos por todos”, afirmou.

A Assembleia reúne bispos, coordenadores regionais e diocesanos de pastorais, superiores maiores de Institutos de Vida Consagrada e Sociedade de Vida Apostólica, representantes do presbitério de cada diocese e coordenadores Regionais das Novas Comunidades.


Fonte: Assessoria de Comunicação CNBB Regional NE2




Se os nossos bispos estão motivados à caridade, o que estamos esperando para fazer de nossos grupos, pastorais e movimentos verdadeiros instrumentos de amor ao próximo?


Está mais que na hora de Acordar pra Vida!!!



Relembrando o Acorda pra Vida (parte 2)

sábado, 27 de agosto de 2011

O que é pecado?



Pecado, o que é mesmo pecar? 

Não ir a Missa? Não se confessar? Não seguir os preceitos doutrinais da igreja? Não fazer jejum? Não rezar? 

Não meu caro… Pecar é fingir que não vê o mendigo dormindo nas ruas. É desprezar o próximo por preconceito étnico, social, sexual e moral. É acumular bens e não estender a mão caridosa para as crianças passando fome e comendo o resto das nossas mesas. É votar em candidato corrupto, ladrão e assassino. 

É seguir a os Mandamentos da lei de Deus e esquecer os “mandamentos” vida: A justiça, a ética, a tolerância e a defesa do planeta e sua biodiversidade. 
       
Frei Petrônio de Miranda, Frade Carmelita.

 Fonte: http://www.olharjornalistico.com.br/


Repassando essas oportunas e sábias palavras do amigo irmão Frei Petrônio a todos que vivem a se questionar sobre o pecado em sua vida!

Tá na hora de Acordamos pra Vida!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

SOS Africa: Campanha da CNBB e Cáritas


A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Cáritas Brasileira deram início à Campanha SOS África de ajuda às vítimas da seca na região nordeste do continente, conhecida como Chifre da África (Somália, Uganda, Etiópia, Quênia, Djibuti e Eritréia).
A região, principalmente a Somália, passa pela seca mais intensa dos últimos 60 anos. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), cerca de 12 milhões de pessoas estão sentindo os efeitos da fome na região.
Ainda segundo os dados, o Chifre da África vem sofrendo nos últimos meses, além da seca, com a fome, conflitos e a alta dos preços dos alimentos. A crise na Somália já matou 30 mil crianças de fome.
Cerca de 400 mil refugiados somalis, quase 5% de toda a população do país, encontram-se acampados em Mogadíscio e áreas ao redor. Aproximadamente 100 mil pessoas chegaram somente em junho e julho, segundo a ONU.
Um novo relatório da Organização Católica para a Solidariedade e ajuda humanitária sublinha que "a cada 11 semanas", dez por cento das crianças somalis com menos de cinco anos "perde a vida".














O ‘Situation report' da Cáritas Somália, enviado à agência Fides, do Vaticano confirmou que "as estruturas de saúde da Somália estão a tentar enfrentar a chegada maciça de deslocados internos que estão a lotar os centros urbanos em busca de assistência". 
Para reverter essa situação, você pode contribuir com campanha da CNBB e Cáritas, em favor das vítimas no Chifre da África, através de doações de qualquer valor.
Banco do Brasil: AG. 3475-4, C/C 26.116-5
Caixa Econômica Federal: AG. 1041, OP. 003, C/C 1751-6
Banco Bradesco: AG. 0606-8, C/C 187587-6
*para DOC e TED o CNPJ é: 33.654.419/0001-16
Mais informações: http://www.caritas.org.br
SOSAfrica_Dados

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A revolução está em nossas mãos…


Acompanhando as redes sociais vejo que muitos andam preocupados em falar que seu time é melhor, seu candidato é o ideal pro Brasil, a crise mundial é isso ou aquilo, seu vídeo tem milhões de acessos, quem tem mais seguidores... Isso dá ibope e um tal de curte aqui e curte lá.

Mas quando se fala sobre crianças vivendo nas ruas, jovens sendo assassinados todos os dias, pobres morrendo de fome, famílias desestruturadas… Só alguns curtem, poucos respondem, quase ninguém compartilha e logo cai no esquecimento.

Sei que mudar o mundo é impossível, mas basta um simples gesto para começar uma revolução.

Se todos curtissem, respondessem, compartilhassem e insistissem sobre estes assuntos o vídeo que iria ficar no topo não seria os de hoje, a “hashtag” seria outra bem diferente, então os políticos iriam ficar intrigados e temerosos, os empresários iriam desenvolver novos mercados de trabalho  e toda a mídia correria para ser os primeiros a noticiar a grande novidade.

Pense nisso antes de postar nas redes sociais…

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

JMJ 2011: relato Pe. Gimesson


Olá, juventude, tudo bem?

Demorei mas eu aqui cheguei! Vim partilhar com vocês minhas impressões, meus sentimentos e nossas vivências aqui na JMJ Madri que oficialmente iniciou na terça-feira, 16, e que vai até domingo, 21. Vou usar uma linguagem informal, pois não vai dar para refinar o texto em plena madrugada de Madri depois de um dia muito ativo e com um ritmo muito frenético!

Bem, a nossa viagem de vinda para Madri foi muito boa! Esperada e desejada por muitos meses! Tinha gente que nem estava conseguindo dormir de tanta ansiedade nas últimas semanas!

O nosso grupo de peregrinos é articulado pela agência de viagens da Comunidade Obra de Maria e quem nos coordena é o amigo Állerson. No total somos 46 peregrinos. Não me lembro bem do número exato porque aconteceram alguns imprevistos e alguns não puderam viajar. Vou olhar direitinho para depois confirmar. Temos gente da Paraíba, Alagoas e Pernambuco. O grupo de Alagoas viajou no sábado, 13, e o nosso grupo de Pernambuco e da Paraíba (com 2 alagoanos no meio kkk!) viajou na segunda-feira dia, 15. Deu tudo certinho, sem imprevistos! Encontramos muita turbulência no “caminho” mas nada que nos fizesse sacudir dos assentos da aeronave nem nos fazer desesperar.

Chegamos primeiro em Lisboa e de lá fizemos conexão para Madri. No Aeroporto de Lisboa ficamos rodando “pra cima e pra baixo” até encontrar o local do check-in e a agente da Obra de Maria em Portugal (kkk). De Lisboa a Madri ‘gastamos’ apenas 50 minutos de viagem! Foi muito legal e tranquila, mas o cansaço e o sono já nos faziam cochilar só de ficarmos sentados (kkk). Quando chegamos a Madri, tudo correu muito bem e fomos conduzidos para um hotel em Alcalá de Hanares.
Todos acomodados, haja sono para gastar (kkkk). Depois de sono e almoço ou almoço e sono, alguns arriscamos ir para o centro de Madri a fim de participar da Missa de Abertura às 20h (no horário local) com o sol “queimando no quengo”. Ah, aqui só escurece a partir das 21h ou mais! A diferença de horário é de 5 horas a mais para cá em relação ao Brasil. Por exemplo, aí ainda são 21h15min, e aqui já são 02h15min. Pense numa diferença que anima mais o sono (kkkk).

Para os que foram tentar participar da Missa de Abertura presidida pelo Cardeal de Madri a aventura foi de fazer rir! Não sabíamos de nada! Nem para que lado ficava. Éramos um grupo de uns 8 jovens ou mais, pois nem todos tiveram condições de ir por causa do cansaço! Chegamos à Missa exatamente no hino de louvor. Foi emocionante subir as escadarias do metrô e se deparar com uma enorme multidão de jovens de todo planeta espalhada por toda a cidade participando da Missa. Não encontramos lugar nem para avistar o palco da Missa. Mas ouvimos tudo! Encontramos já na primeira noite um grande grupo de brasileiros espalhados.
Encontramos o grupo do Colégio Damas de Recife, a turma da Paróquia de Jardim São Paulo, o pessoal da Delegação Oficial da CNBB…enfim, muita gente! A primeira noite terminou com nosso grupo perdido em Madri tentando acertar o metrô e o trem que nos levariam de volta para o bairro do hotel kkk! Pense numa aventura! A sorte é que tinha gente nos ajudando, inclusive a jovem Bruna, prima de Natália de Jardim São Paulo, que mora em Madri já faz um tempinho.

Cantamos na rua e no metrô! Tiramos fotos com gente de todo o mundo! Fomos saudados na rua por centenas que ficavam alegres só por verem nossa bandeira…. enfim, tudo tem sido muito empolgante! Só o primeiro dia já nos dá a idéia de como é uma JMJ e qual a sua força nas juventudes.

Bem, esta é minha primeira pequena grande partilha sobre a JMJ Madri! Depois vem mais!

Pe. Gimesson Eduardo da Silva, SCJ
 Presidente da CAP Juventude da Arquidiocese de Olinda e Recife


Nomeação dos cerimoniários oficiais da Arquidiocese de Olinda e Recife

No dia , 6, Festa da Transfiguração do Senhor, foram nomeados oficialmente pelo arcebispo da Arquidiocese de Olinda e Recife, dom Antônio Fernando Saburido, os cerimoniários episcopais. Essa função ficou ao encargo dos padres Augusto César Figueiroa de Arruda e Adriano José das Chagas, párocos de Nossa Senhora de Belém (Encruzilhada) e Nossa Senhora do Rosário (Boa Viagem), respectivamente.

O cerimoniário episcopal é responsável por organizar as cerimônias nas quais o arcebispo esteja presente. Com ordem e decoro, o cerimoniário deve procurar a nobre e simplicidade da liturgia romana que deve, antes de tudo, garantir o essencial, ou seja, a vivência do mistério que se está celebrando.

Os dois padres já têm ampla experiência com a missão que lhes fora confiada. O padre Adriano já atuou como cerimoniário do arcebispo emérito de Olinda e Recife, dom José Cardoso Sobrinho. Já o padre Augusto César, exerceu a função de cura da catedral da diocese de Nazaré da Mata, além de cerimoniário do bispo emérito dom Jorge Tobias de Freitas.

A recente nomeação, conforme a vontade do arcebispo local, tem tempo indeterminado.

A cor violácea das vestes sempre foi utilizada na Igreja para indicar nobreza, realeza. Além dos bispos, a utilizavam todos os que compunham a sua corte. Atualmente, os mestres de canto e os cerimoniários episcopais ainda fazem uso da mesma.





Parabéns ao padres Augusto Cesar e Adriano! Deus abençoe a vida e a missão de cada um!


quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Homenageie quem você ama!

DSC02618

Você tem alguém na sua vida que é verdadeiramente um anjo de Deus?

Pode ser seus pais, filho, irmão, parente, amigo, etc.

Faça uma homenagem especial a essa pessoa mandando uma foto sua com ela para o e-mail paulodr2006@hotmail.com para colocarmos no videoclipe da música "Gratidão" que será lançado no show Paulo Deérre & Amigos em outubro próximo!

Deus abençoe!

 

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

O GAC precisa de nossa ajuda!

No Encontro Canta Pernambuco deste domingo estaremos arrecadando fraldas descartáveis para as crianças e adolescentes do GAC.






Divulgue com seus familiares, amigos e colegas de trabalho e vamos exercer nossa fé e cidadania!

Dom Fernando Saburido: há 2 anos na arquidiocese


Completados ontem dois anos à frente da Arquidiocese de Olinda e Recife, o arcebispo dom Fernando Saburido tem especialmente três motivos para comemorar. Com um perfil que preza pelo diálogo e pela aproximação da Igreja Católica com o povo, o religioso conseguiu mudar a organização da arquidiocese, seguindo a metodologia proposta pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Das metas iniciais daquele 16 de agosto de 2009, apenas uma ainda falta ser cumprida. Na tarde de ontem, o arcebispo relembrou as mudanças e os desafios encontrados nesses dois anos, e antecipou as novas propostas para a arquidiocese.

“São dois anos de trabalho intenso e nos preocupamos muito em re-estruturar a arquidiocese, principalmente em três pontos. Primeiro foi a descentralização, através de cinco vicariatos episcopais, que ficam responsáveis pelas paróquias de uma determinada área. Outro passo bem significativo foi a criação das 12 comissões pastorais voltadas para diversas missões. Além disso, também iniciamos as visitas às paróquias para conhecê-las mais de perto”, disse o arcebispo.

Atualmente, 103 paróquias distribuídas em 19 municípios são ligadas à Arquidiocese de Olinda e Recife, totalizando uma legião de mais de quatro milhões de pessoas. E chegar a todas essas paróquias é o desafio atual de dom Fernando, que já encontrou o que pode ser melhorado dentro da arquidiocese. “Nosso desafio maior é criar uma cultura missionária. É procurar fazer por onde a Igreja conscientize seu povo que os leigos são os protagonistas da missão”, explicou. Ainda para esse ano, dom Fernando pretende concretizar uma de suas metas iniciais, reativar na arquidiocese as Santas Missões Populares, que visam despertar nos cristãos a vocação missionária.

As obras físicas também estão nos planos do religioso. Porém, após ter encontrado a arquidiocese em crise econômica, o arcebispo ainda enfrenta a falta de investimentos para a reforma da antiga sede da arquidiocese, onde funciona hoje a Cúria Metropolitana, no bairro da Várzea.

O investimento poderia ser obtido através da indenização da desapropriação do terreno do Hospital Psiquiátrico Ulisses Pernambucano, na Tamarineira, anunciada pela Prefeitura do Recife. Mas um ano após o impasse, dom Fernando afirma que não foi procurado pelo órgão. “Tive conhecimento pela Imprensa de que a prefeitura estava procurando arquitetos para fazer o projeto da área, mas até o presente momento não fomos notificados. Não houve nenhuma negociação com a arquidiocese”, informou.

Sobre o papel do arcebispo, dom Fernando destaca o que aprendeu ao longo desses dois anos. “O arcebispo tem que ser um ponto de unidade, procurar fazer esse exercício. Temos que investir na unidade e sermos abertos ao diálogo”, frisou. A comemoração dos dois anos de dom Fernando Saburido como arcebispo de Olinda e Recife acontecerá no próximo sábado, na Igreja Nossa Senhora de Fátima, no bairro da Boa Vista. Na ocasião também será celebrado os 11 anos do ordenamento de dom Fernando como Bispo. Ainda na celebração, serão ordenados 11 diáconos.
Reportagem: Juliana Aretakis
Fonte: Folha de Pernambuco – 16/08/2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Uma história de trabalho e doação cristã



Saúde, educação e assistência social. Esses são os pilares que fazem da Santa Casa de Misericórdia do Recife referência de serviço ao povo pernambucano. Chegar aos 153 anos oferecendo qualidade no atendimento merece comemoração. Para lembrar a data, o presidente da instituição e arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, celebrou Missa em Ação de Graças, na sexta-feira, 12, na Catedral da Sé, em Olinda.

A igreja recebeu profissionais, parceiros sociais e pessoas assistidas pela
instituição. A celebração foi marcada por homenagens e apresentações culturais. O recém criado Coral da Misericórdia, formado por cerca de 30 integrantes, entre freiras, parentes e amigos de funcionários que trabalham na entidade, e a Orquestra Cidadã Meninos do Coque deram o tom musical à solenidade. Na ocasião, parceiros sociais da Santa Casa foram homenageados com placas comemorativas. Entre os que receberam a condecoração estavam três sacerdotes: monsenhor Romeu da Fonte os padres Cícero Ferreira e Luciano Brito. Também foi lançado o selo alusivo ao aniversário da instituição.

Dom Fernando mostrou-se grato a Deus e a todos aqueles que com carinho procuram servir aos mais carentes. “Nós temos que agradecer a Deus pelo que tem acontecido. O quadro de funcionários, que em 2007 era de 367, aumentou para 1.390. Conseguimos dar saltos bem significativos aumentando a possibilidade de termos mais profissionais a serviço da Santa Casa.” E acrescentou: “No próximo ano, iremos inaugurar o centro cirúrgico do Hospital Santo Amaro, o que vai dar mais condição de elevá-lo a um hospital de alta complexidade para que, de fato, ele possa cumprir o seu papel social.”

“A gente vem numa luta para retomar o papel social que a Santa Casa teve. Hoje estamos comemorando essa reestruturação e vinculação à arquidiocese. A gente teve grandes presentes como a reestruturação do Hospital Santo Amaro, os novos convênios que foram fechados com a Secretaria de Saúde para ser a retaguarda na traumato-ortopedia para o Estado de Pernambuco, o Abrigo Padre Venâncio que foi agregado e temos projetos futuros que estão em andamento”, afirmou uma das gestoras da Santa Casa, Rilane Dueire.

A ação da Santa Casa contempla 12 instituições, sendo quatro na área de saúde, duas em educação e seis em assistência social. “Nossa preocupação é transformar a Santa Casa na casa da misericórdia, do amor”, finalizou dom Fernando.



Da Assessoria de Comunicação AOR




segunda-feira, 15 de agosto de 2011

JMJ: De mochilas nas costas

MADRI – É cada vez mais intensa a movimentação de jovens em Madri por causa da Jornada Mundial da Juventude, que começa na terça-feira, 16. No IFEMA, na Feria de Madrid, um batalhão de voluntários de vários países confirma a inscrição dos jovens, que recebem uma mochila com material para a jornada. É aí também que os de última hora podem fazer sua inscrição. Na manhã deste domingo, o movimento era pouco e nem precisava enfrentar fila.


No ato da inscrição, cada pessoa pagou uma taxa, segundo as várias opções oferecidas pela organização da Jornada. A taxa varia de 30 euros a 210 euros e as opções são inscrição com alojamento e alimentação; só inscrição e refeições; inscrição e alojamento, sem refeição, ou apenas inscrição.

Na mochila de cada participante inscrito há pelo menos 15 itens como, por exemplo, um livro-guia com as principais informações sobre a jornada, além de dados sobre cidade de Madri e a Espanha. Há também um exemplar do youcat, um catecismo para jovens católicos, com o prólogo escrito pelo papa Bento XVI.
Outros materiais na mochila são “O livro do peregrino”, com orações para o período da JMJ; um exemplar do Evangelho de São Mateus, em seis línguas (Espanhol, Inglês, Italiano, Francês, Alemão e Polonês), além de terço, crucifixo, boné e camiseta.

Os participantes recebem, ainda, um vale transporte que lhe dá direito a se locomover em Madri gratuitamente no período da Jornada e o crachá para os atos centrais da JMJ.

O site oficial da JMJ explica que a participação na Jornada é gratuita e que qualquer pessoa pode assistir aos atos principais, que são a missa de abertura, no dia 16, às 20h; a cerimônia de acolhida do papa, na quinta-feira, 18; a via-sacra, na sexta-feira, 19; a vigília, no sábado, 20, e a missa de encerramento, no domingo, 21. Os inscritos terão lugar reservado para estes atos.


Jovens com deficiência

Segundo o Departamento de Comunicação do evento, a JMJ de Madri será a primeira “plenamente adaptada aos jovens enfermos e com deficiência”. Isso se tornou uma das prioridades dos organizadores, que é “servir estes jovens, garantindo sua participação e protagonismo”.

São esperados 4 mil peregrinos com deficiência, entre os quais cerca de 700 cadeirantes. Mais de 1.500 ficarão alojados em centros adaptados. Segundo a Sala de Imprensa da Jornada, estes jovens ficarão próximo do papa nos atos centrais do evento. No dia 20, às 19:30h, os jovens enfermos e com deficiência receberão a visita de Bento XVI, na Fundação Instituto São José.


Fonte: CNBB


Maiores informações acesse: http://juventudeaor.blogspot.com/



quinta-feira, 11 de agosto de 2011

3º Encontro de Cristãos em Busca de Unidade e Santidade



Nos dias 5 a 7 de agosto aconteceu, em Pouso Alegre (MG), o 3º Encontro de Cristãos em Busca de Unidade e Santidade (ENCRISTUS). O evento teve como tema “Curados no Corpo de Cristo” e contou com a participação de cerca de 150 pessoas, em sua maioria, vindas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

“O ENCRISTUS é um evento ecumênico que visa unir cristãos de diferentes igrejas numa espiritualidade comum que possibilite a quebra dos preconceitos, a acolhida mútua e a abertura para o ecumenismo. Uma característica marcante do ENCRISTUS é o fato de nele participarem, sobretudo, católicos que desenvolvem a espiritualidade carismática e evangélicos pentecostais.

Trata-se, assim, de iniciativa original de diálogo católico – pentecostal no Brasil. Por essa razão, o ENCRISTUS se estrutura em torno de pregações, testemunho, oração e louvor”, afirmou o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da CNBB, padre Elias Wolff.

Segundo o assessor da CNBB, um dos principais desafios para o ecumenismo no Brasil é justamente o diálogo católico-pentecostal. “O ENCRISTUS reúne católicos e evangélicos pentecostais para propor uma espiritualidade comum, acreditando que a oração é o principal caminho para que sejam superadas as barreiras que separam as diferentes tradições cristãs”, ressaltou o padre Elias.

Desenvolvendo o diálogo católico-pentecostal no Brasil, o ENCRISTUS integra-se nos esforços do diálogo que, no âmbito internacional, existe desde 1972, entre o Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos e representantes de diferentes tradições pentecostais de todo o mundo. Esse diálogo encontra-se, agora, na sua quinta fase. Nas fases anteriores foram estudados os temas “O Batismo no Espírito Santo”, “A fé e a experiência religiosa”, “Koinonia”, “Evangelização”, “Proselitismo” e “Testemunho Comum”.
Fonte: CNBB

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Jovens: “firmes na fé”


O tema desta Jornada da Juventude, na Espanha é belo, profundo e tem um significado muito atual: “enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé” (cf Cl. 2,7). Na Carta aos Colossenses, São Paulo exorta os fiéis a não se deixarem abalar na fé em Cristo e a não se perturbarem com outros ensinamentos e propostas religiosas, ou não-religiosas. “Fiquem firmes na fé em Cristo”, equivale a um apelo a não desanimar e a perseverar diante das dificuldades para ser cristãos.

O tema aponta para o centro da vida cristã: nossa referência essencial a Cristo. Ser cristão é ser discípulo de Cristo; é estar ligado a ele com uma relação estreita e vital; é receber dele a vida nova, mediante a fé e o batismo. Para São Paulo, isso significa “estar nele”, ser edificados sobre ele, estar enraizados nele. Significa que “já não somos mais estrangeiros e estranhos a Cristo e a Deus, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus” (cf Ef 2,11-19). Sem esta referência a Cristo, o cristão perde o rumo e a Igreja, o seu sentido.

A Igreja aponta para Cristo e convida jovens e adultos a encontrá-lo, a se deixar encantar por ele, a experimentar a alegria e a paz de estar em sua companhia; a acolher sua Palavra e seguir seus passos vida afora. Sim, porque Ele é o Salvador, o pastor, que conduz e ama seu rebanho, que dá a vida pelas ovelhas; é a porta aberta, que leva direto ao encontro com Deus; o “pão”, que sacia toda fome e faz viver para sempre; a água, que mata toda a sede; é a luz, que permite caminhar sem tropeços e sem errar o caminho; é a verdade, a vida, o rosto humano de Deus… Isso interessa aos jovens?

Em nossos dias, o cristão encontra-se muitas vezes desafiado a viver sua fé em Deus e em Cristo num contexto de esquecimento de Deus, numa espécie de “eclipse do sentido de Deus”, quando não, de clara negação e rejeição de Deus. Renascem movimentos de ateísmo militante e de negação e combate do sentido da fé e da vivência religiosa. Sempre mais se afirma o laicismo na vida pública e se pretende até legislar para tirar dos espaços públicos os sinais e símbolos da fé, sob o pretexto de preservar a liberdade daqueles que não crêem. Crer, ofende a quem não crê?! Em nome do “Estado laico”, pretende-se relegar a fé e a religião, no máximo, para o espaço da vida privada, sem lhes reconhecer alguma relevância para o convívio social.

No entanto, quando se coloca Deus de lado, também o homem e o mundo perdem seu sentido. Sem uma referência consciente ao Criador, a criatura perde sua identidade e dignidade. O esquecimento ou desprezo de Deus estão na origem de tantos problemas do mundo e da sociedade. Por isso, é necessário e urgente que se reconheça novamente o primado de Deus na vida do homem. “Tudo muda, dependendo se Deus existe, ou não existe” (Card. Ratzinger, Jubileu dos catequistas, 10.12.2000).

Na sua Mensagem para a Jornada Mundial da Juventude de Madrid, o papa Bento XVI escreve: “Deus é a fonte da vida; eliminá-lo, equivale a separar-se desta fonte e, inevitavelmente, privar-se da plenitude e da alegria. Sem o Criador, a criatura se dilui” (Gaudium et Spes, 36).

A fé é um dom de Deus, que ilumina a vida daquele que crê e a transforma. Só com a fé em Deus, mediante a qual o homem pode entrar em comunhão com Deus e estabelecer com ele um laço de confiança, é que a vida encontra sua plenitude. “Tu nos fizeste para ti, Senhor, e nosso coração anda inquieto enquanto não repousa em ti novamente, Senhor” (S.Agostinho).

A fé nos faz aderir firmemente a Deus e a tudo o que Ele significa e revelou para nós. Com freqüência, o ato de fé é incompleto: “creio em Deus, mas…” Existe a tendência de fazer cortes e exclusões no conjunto das verdades da fé e, sobretudo, de desvincular a fé da vida: na prática, vive-se como se Deus não existisse, ou nada significasse para nossa vida e para o mundo. Um Deus “excluído” do mundo não equivale ao Deus da revelação bíblica e da fé cristã.

Jovens e menos jovens terão, em Madrid, uma bela oportunidade para se firmarem na fé, junto com o Papa, os bispos e sacerdotes, e com tantos outros jovens, que para lá acorrerão (ou voarão…), de todas as partes do mundo! Sim, graças a Deus, não há só carentes e sedentos de fé em nossos dias, mas também testemunhas, que a vivem alegremente. Em Madrid veremos muitos jovens, firmes na fé!
Card. Odilo P. Scherer
Arcebispo de São Paulo – SP

Fonte: 
http://www.arquidioceseolindarecife.org/2011/08/jovens-%E2%80%9Cfirmes-na-fe%E2%80%9D/


terça-feira, 9 de agosto de 2011

CNBB promove debate sobre Reforma Política



A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promove, nesta quarta-feira, 10, às 20h, no Centro Cultural de Brasília (CCB), na L2 Norte – Quadra 601, em Brasília (DF), um debate sobre a Reforma Política com o senador Antônio Carlos Valadaress e os deputados federais Henrique Fontana e Ronaldo Caiado. Participam também do debate a cientista política, Lúcia Avelar, e o jurista Marcello Lavanère Machado, ambos membros da Comissão Brasileira Justiça e Paz.

O debate será coordenado pelo bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG) e reitor da PUC-Minas, dom Joaquim Mol Guimarães, presidente da Comissão nomeada pela Presidência da CNBB para acompanhar a Reforma Política, discutida pelo Congresso Nacional. Aberta ao público, a reunião deverá contar com a participação de lideranças das Pastorais Sociais, reunidas na Capital Federal; dos bispos do Conselho Episcopal Pastoral da CNBB e dos bispos novos que participam do curso que a CNBB anualmente promove para os bispos recém-nomeados.

“Nosso objetivo é provocar o debate e fazer com que os parlamentares saibam que a Igreja está acompanhando de perto as discussões da Reforma Política”, explica padre José Ernanne Pinheiro, um dos assessores da Comissão da Reforma Política da CNBB.

Tanto o Senado quanto a Câmara possuem uma Comissão sobre a Reforma Política, além de uma Frente Parlamentar com Participação Popular. Segundo padre Ernanne, o que se percebe, é que ninguém tem clareza ainda do que vai ser a Reforma Política. “Por isso escolhemos para o debate o tema ‘Reforma Política – para quê!”, diz o assessor.

Outra iniciativa da Comissão da CNBB foi convidar a deputada federal Luíza Erundina para falar sobre o mesmo tema aos bispos do Consep, nesta terça-feira, 9, quando começam sua reunião ordinária. A reunião se estende até quinta-feira, 11.
Fonte: CNBB


domingo, 7 de agosto de 2011

Dia do Padre marcado por homenagens e confraternização



“Um sim que dura para toda a vida. Um chamado para servir a Deus. Um pai, um sacerdote.” Ontem, 4, a Igreja celebrou o Dia do Padre. A data foi lembrada em Reunião Solene realizada na Câmara Municipal do Recife. A manhã reservava outro momento especial: a entrega do Título de Cidadão Recifense ao vigário geral da Arquidiocese de Olinda e Recife, monsenhor José Albérico Bezerra.

A mesa foi composta pelo arcebispo metropolitano, dom Fernando Saburido; arcebispo emérito de Maceió, dom Edvaldo Amaral; o pároco de Nossa Senhora da Boa Viagem, monsenhor Edvaldo Bezerra e o vigário geral da arquidiocese, monsenhor José Albérico; o presidente da Câmara Municipal, vereador Jurandir Liberal e o autor da proposta, vereador Josenildo Sinésio.

“Parece que algumas pessoas têm tarefas decisivas para a paz doshomens.Para nós, leigos, é um privilégio ter os senhores (padres) como nossos pastores”, afirmou o Josenildo Sinésio. Em seu discurso, o vereador apresentou a todos a biografia do monsenhor Albérico revelando curiosidades como a de que o religioso é hábil ‘imitador’ das falas e gesto de dom Helder Camara. O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – Regional Nordeste 2, dom Genival Saraiva de França, enviou uma mensagem ao monsenhor, que foi lida pelo vereador Jurandir Liberal. “Considero muito justa essa concessão. Monsenhor Albérico já é do Recife de coração, moradia e ofício”, disse dom Genival através de carta.

Em seguida, dom Fernando foi convidado a falar em nome do clero. “A minha palavra é de agradecimento pelas homenagens aos padres e ao monsenhor Albérico. Eu fico encantado ao ouvir a história de vida do monsenhor e pelo esforço dele. A gente sente que ele é uma pessoa realizada. Está sempre feliz e de bom humor”, disse. O arcebispo recebeu placa comemorativa em homenagem aos sacerdotes.


O monsenhor Albérico recebeu o diploma com o Título de Cidadão Recifense
e a medalha de Honra ao Mérito. Era a sua vez de dirigir-se a tribuna e discursar, mas antes um pedido especial foi feito pelo presidente da câmara: imitar dom Helder. Pedido prontamente aprovado pelos presentes.

“Recife enche o coração da gente. É impossível deixar de nutrir um carinho por esta cidade que me acolheu. Foi aqui que construí minha identidade, minha trajetória, minha biografia. Sem dúvida este é o meu lugar. Sempre acreditei que a capital do Estado é o seu coração”, discursou.


Reproduzindo, com perfeição, as palavras e gestos do ‘profeta dos nossos dias’, dom Helder Camara, disse: “Não há estrangeiros entre nós porque somos todos filhos do mesmo  Criador e Pai. No entanto, somos estrangeiros poque nossa pátria definitiva não é aqui, mas no coração do Pai, no Reino dos Céus.” A imitação aplaudida  com fervor. Após o encerramento da reunião, o novo cidadão recifense recebeu os cumprimentos dos familiares, sacerdotes e amigos.


Confraternização – O Dia do Padre ainda reservava um descontraído almoço com direito a sorteio de presentes, na  Comunidade Obra de Maria, na cidade de São Lourenço da Mata.








Fonte: http://www.arquidioceseolindarecife.org/2011/08/dia-do-padre-marcado-por-homenagens-e-confraternizacao/

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Neste domingo tem SOS Pernambuco em Olinda!


Neste domingo a Rede Solidária Jovem fará uma coleta porta a porta em prol da Campanha SOS Pernambuco da Arquidiocese de Olinda e Recife, na cidade de Olinda-PE. A concentração será na Praça dos Brinquedos, Rio Doce 3a Etapa, próximo à Matriz Assunção de Maria, a partir da 8hs da manhã. 

Convocamos amigos, familiares, jovens e adultos para juntos levarmos o bem estar aos desabrigados das últimas chuvas na Zona da Mata Norte do nosso estado.



quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Obrigado, padre!

Caríssimo e amado padre,

Obrigado pelo carinho sempre dispensado, pela paciência em ouvir minhas falhas, pelo apoio em minhas fraquezas, 
pelas palavras de exortação, pelos olhares ternos, por me adotar como filho, por lutar por mim, por acreditar em mim,
por chorar por mim, por se alegrar por mim, por me fazer crescer, por me proteger, por brigar por mim, por me acolher,
por lembrar de mim, por me esperar, por me conduzir na vida e por fazer parte de sua missão.

Obrigado pelo seu amor por mim: um pequeno e rebelde ser!

Como retribuir tanto amor? Não dá, não!

Então direi apenas: muito obrigado! Deus o abençoe!


Paz e Bem!


Hoje é Dia do Padre e de São João Maria Vianney

Com admiração, alegramo-nos com a santidade de vida do patrono de todos os vigários, conhecido por Cura D'Ars. São João Maria Vianney nasceu em Dardilly, no ano de 1786, e enfrentou o difícil período em que a França foi abalada pela Revolução Napoleônica.

Camponês de mente rude, proveniente de uma família simples e bem religiosa, percebia desde de cedo sua vocação ao sacerdócio, mas antes de sua consagração, chegou a ser um desertor do exército, pois não conseguia "acertar" o passo com o seu batalhão.

Ele era um cristão íntimo de Jesus Cristo, servo de Maria e de grande vida penitencial, tanto assim que, somente graças à vida de piedade é que conseguiu chegar ao sacerdócio, porque não acompanhava intelectualmente as exigências do estudo do Latim, Filosofia e Teologia da época (curiosamente começou a ler e escrever somente com 18 anos de idade).

João Maria Vianney, ajudado por um antigo e amigo vigário, conseguiu tornar-se sacerdote e aceitou ser pároco na pequena aldeia "pagã", chamada Ars, onde o povo era dado aos cabarés, vícios, bebedeiras, bailes, trabalhos aos domingos e blasfêmias; tanto assim que suspirou o Santo: "Neste meio, tenho medo até de me perder". Dentro da lógica da natureza vem o medo; mas da Graça, a coragem. Com o Rosário nas mãos, joelhos dobrados diante do Santíssimo, testemunho de vida, sede pela salvação de todos e enorme disponibilidade para catequizar, o santo não só atende ao povo local como também ao de fora no Sacramento da Reconciliação. Dessa forma, consumiu-se durante 40 anos por causa dos demais (chegando a permanecer 18 horas dentro de um Confessionário alimentando-se de batata e pão).

Portanto, São João Maria Vianney, que viveu até aos 73 anos, tornou-se para o povo não somente exemplo de progresso e construção de uma ferrovia – que servia para a visita dos peregrinos – mas principalmente, e antes de tudo, exemplo de santidade, de dedicação e perseverança na construção do caminho da salvação e progresso do Reino de Deus para uma multidão, pois, como padre teve tudo de homem e ao mesmo tempo tudo de Deus.

São João Maria Vianney, rogai por nós!






Fonte: http://www.cancaonova.com